Img CardanALINHAMENTO E BALANCEAMENTO: É necessário ser feito, a cada troca de peça do cardan pois mesmo novas as peças, elas possuem peso e tamanhos diferentes, assim estará evitando vibrações e desgaste prematuro nas peças. Melhorando a resposta de força em relação à aceleração.

LUBRIFICAÇÃO: A lubrificação dos componentes do cardan é crucial para sua durabilidade. Uma graxa com características de extrema pressão, à base de sabão de lítio ou cálcio, grau de viscosidade nº2, EP2. A graxa com estas características resiste à temperatura que a transmissão chega a atingir, até 120ºC, deve ser utilizada nos intervalos recomendados pelo fabricante. Estes intervalos variam conforme o tipo e a utilização do veículo. Há tambéma linha leve, para algumas aplicações as cruzetas que dispensam lubrificação (cruzetas blindadas).

FOLGA: Pode ser verificado segurado a peças com as mãos e balançando-as, não deve existir folga, caso isso aconteça, sinal de que tem algum componente gasto. Podendo causar vibrações e desgastes no trasmissão, podendo danificar até a caixa de câmbio/ou diferencial.

SUBSTITUIÇÃO DE COMPONENTES: Quando for necessário substituir algum componente de cardan, como garfo, mancal, flange e cruzeta, nunca se baseiem apenas na semelhança entre as peças, pois sua construção leva em conta vários especificações, como torque, comprimento do eixo, velociadade, entre outras características do veículo. Uma aplicação errada é suficiente para o veiculo apresentar vibrações e ruídos que comprometem a durabilidade e eficiência do conjunto.

TRANCO: A mudança brusca de marcha pode ocasionar a quebra do eixo cardan.

BANGUELA: Quando colocado o veículo na banguela, deixando-o em completa desarmonia, pois assim que for engrenar uma marcha, está gerando um tranco no motor, no câmbio, no cardan e no diferencial. A frequência desses trancos provocará a quebra de alguma peça da transmissão do veículo.

ESFORÇO: Excesso de peso força o veículo, exigindo que sejam forçadas as marchas, podendo danificar o eixo cardan e aumentado o consumo de combustível do veículo.

INSTALAÇÃO: Antes da montagem, efetue a limpeza nas faces dos contra-flanges e cardan. Deve se montar o eixo cardan onde as estrias, caso tenha, sejam protegidas de qualquer agente externo, como o mau tempo. Os parafusos de fixação do eixo cardan deverão ter uma resistência mínima conforme norma DIN 931 classe 10.9 e porcas conforme DIN 980 classe 10.0. Para aplicações especiais deve se utilizar porcas auto-travantes ou sistema de travamento dos elementos de fixação.

ARMAZENAMENTO: Ao armazenar o eixo cardan em estoque, remova-o da embalagem e apóie o cardan sobre calços para evitar empenamentos. Em caso de longos períodos de armazenagem, o cardan deve ser mantido na posição vertical. É importante lubrificar as cruzetas e o conjunto deslizante no minímo duas vezes ao ano, mesmo se que não esteja em uso.

Leia mais...